Saltar para menu de navegação principal Saltar para conteúdo principal Saltar para rodapé do site

Do caos ao renascimento do espaço psíquico

Resumo

A autora faz uma elaboração psicanalítica a partir de uma investigação clínica de um caso de uma criança, onde destaca as diferentes consequências psíquicas ocorridas na sequência de separações e de perdas precoces. Mostra como o desmoronamento psíquico, que surge na sequência da ausência do objeto materno, provoca um encapsulamento narcísico, de difícil acesso, e que funciona como uma barreira que anula ou que evita as relações de proximidade. Destaca e elabora os diferentes movimentos do processo analítico, que vão do caos, à construção de um continente sonoro que envolve a dupla analítica e ao nascimento das primeiras palavras que serviam para representar a depressão primária.

Palavras-chave

Caos psíquico, Espaço psíquico, Depressão primária, Transformações psíquicas

PDF

Biografia Autor

Maria Fernanda Alexandre

Psicóloga clínica e da saúde, psicoterapeuta e psicanalista. Membro titular, com funções didácticas, da Sociedade Portuguesa de Psicanálise (SPP) e da Associação Internacional de Psicanálise (IPA). Directora da Revista Portuguesa de Psicanálise.


Referências

  1. Alexandre, M. F. (2007). Mudanças Psíquicas no Processo Terapêutico. O papel do Narcisismo. Fenda.
  2. Anzieu, D. (1974). Le Moi Peau. Nouvelle Revue de Psychanalyse, 9, 195–208.
  3. Bégoin, J. (2005). Depressão e destrutividade na vida psíquica da criança. Do Traumatismo do Nascimento à Emoção Estética – Conferências Psicanalíticas em Lisboa. Fenda.
  4. Fialho, O. (2019). Desenho Infantil: Espelho do Mundo Interno da Criança. Colibri.
  5. Freud, S. (1976). Porque a Guerra?. Em Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud, XXII. Imago, 241–259. (Obra original publicada em 1932.)
  6. Gonçalves, M. J. (2019). Origem da vida psíquica, nascimento psíquico e originário. Revista Portuguesa de Psicanálise, 39 (2), 62–68.
  7. Green, A. (2007). Narcisisme de Vie, Narcisisme de Mort. Éditions de Minuit.
  8. Grotstein, J.S. (2009). “…But at the Same Time and on Another Level…” Clinical Applications in the Keinian/Bionian Mode. Karnac Books.
  9. Grotstein, J. S. (1999). O buraco Negro. Climepsi.
  10. Mahler, M. (1958). Autism and Symbiosis: two extreme disturbances of identity. The International Journal of Psychoanalysis, 39, 77–83.
  11. Meltzer et al. (1978). The Kleinien Development. The Roland Harris Educational Trust.
  12. Meltzer, R. (1975). Explorations in Autism: A Psychoanalytical Study. Karnac Books.
  13. Meltzer, R. (1967). The Psycho-analytical Process. The Clunie Press.
  14. Ogden, T. H. (1994). Subjects of Analysis. Karnac Books.
  15. Ovídio (2007). Metamorfoses. Cotovia.
  16. Pontalis, J-B. (1978). Entre le rêve et la douleur. Gallimard.
  17. Resnik, S. (1994). Espace mental sept leçons à l’université. Éditions Érès.
  18. Resnik, S. (1991). Espacio mental. Julián Yébenes Editores.
  19. Stern, D. (1986). The Interpersonal World of the Infant. Basic.
  20. Tustin, F. (1981). Autistic States in Children. Routledge.
  21. Tustin, F. (1973). Autistic Barriers in Neurotic Patients. Karnac Books.
  22. Winnicott, D. W. (1974). Fear of Breakdown. International Review of Psycho-Analysis, 1, 103–107.